INSIRA SEU IDIOMA --- INSERT YOUR LANGUAGE

2 de nov de 2016

ORGANIZAR-SE MENTALMENTE TAMBÉM FAZ PARTE DE NOSSO DIA-A-DIA



Quanto mais pensamos em nós no sentido de sermos um ser prepotente, individualista, maior é a chance de errar e menos de acertar, erros passíveis de equívocos, são esses os erros que mais nos afetam, erros em que se tratando de equívoco, não nos importamos com o desgaste que esse venha nos trazer, ou seja, necessariamente nem tanto ligamos, é como se tivéssemos alienados ha esse hábito de não se importar com o prejuízo presente.
 É natural que pensamos assim passivamente, visto que somos humanos e passíveis de erros. Quando olhamos para algo que nos interessa logo pensamos em como tirar daquilo algo em que nos satisfaça ou possa nos satisfazer no momento ou futuramente. Pensamos então com o sentimento de culpa e não com o sentimento da razão em que nos culpamos por não poder ter ou não conseguir, momento em que a dúvida do eu entra em ação, sem pensar muito e até com o pensamento formado em satisfação pessoal a qual de decidir, logo pensamos no que é mais conveniente, mesmo sabendo que o  que é mais conveniente nem sempre é o que podemos ter como certo.
Um exemplo clássico é o empírico (indivíduo que aprendeu tudo na prática), esse indivíduo muitas das vezes toma decisões em que o derrubam, outras que o levantam e de todos os tombos (percalços da vida) que passou na vida aprendeu algo, mas não precisamos de tanto, basta nos policiar. Mas policiar como, buscando conhecimento, seja conversando, escutando, estudando e até mesmo nas brincadeiras e rodas de amigos, sim sempre aprendemos.
Não podemos ter o medo interior ou mesmo o sentido de que se perguntar algo estamos mostrando ou demonstrando que somos incapazes. Sim, incapazes se por não perguntar algo que estamos com dúvida, agir conforme descrito acima por força do habito de que tudo que é conveniente é o certo e logo assim se é para nós é para outros, até mesmo em certos textos de interpretação de leis pensamos no sentido do calor de sentimento humano quando interpretamos com o calor do sentimento, logo estamos decidindo por nós mesmos e nunca com o que este disposto em algum artigo proposto, seja essa lei, regra, documento, estatuto em que se possa deixar errar, pois ali descrimina o que deve e o que não deve ser decidido.
 Policiar-nos é termos a plena consciência em que estamos nos direcionando a certo nível de organização de vida social a qual nos dará frutos de entendimento, crescimento, amadurecimento, ética moral e o maior talvez de todos os respeito ao semelhante, já que nossas dúvidas nem sempre afeta só nós mesmos, mas em muitos aspectos de sentido de ordem natural da vida a qual denota diferenças muitas das vezes incontáveis e até mesmo irreparáveis. 
É muito importante saber ouvir, mas também, entender o que estamos ouvindo, talvez o mais difícil para muitos a dúvida de perguntar o que não entendeu e assim deixar de  cometer equívocos os quais sem necessidade.
 Portanto perguntar não quer jamais dizer que estamos demonstrando que não sabemos, mas sim um ato de inteligência, propondo assim, muitas vezes, talvez até a dúvida de sanar um futuro erro o qual por outro ter sido tomado no calor da emoção, isso quando se tratando de trabalho.

Por isso; organizar-se mentalmente também faz parte de nosso dia-a-dia.
Texto escrito em março de 2014

                   
                           ------------ Messias Albino ------------


A BASE DE UMA NAÇÃO É A EDUCAÇÃO.

UM PAÍS QUE VALORIZA SEUS PROFESSORES ESSE VALORIZA SUA CULTURA, POIS A BASE DE UMA NAÇÃO É A EDUCAÇÃO.
Ser professor não é apenas o pensar ser e simplesmente ir dar aula. Não é como pensar em qualquer profissional o qual se prepara e vai a luta, ao contrário, ser professor é deixar o pensamento de riqueza de lado desprezando assim esse intento e buscando a felicidade de muitos os quais por si poderão alcançar. O professor é como um voluntário, mas um voluntário o qual tem sim seu ganho, mas esse ganho por mais alto que seja, não cobre o que esse profissional enfrenta no dia-a-dia. Quando falamos em professor, não falamos somente no mestre o qual assim se falou por muito tempo, isso no Brasil, falamos no profissional que vai ter de frente uma criança, um jovem ou um adolescente o qual terá que respeitar mesmo que o consuma dia a dia seu inesgotável senso de humor, pois esse capacitado para tal jamais terá surtos por indesejáveis assuntos que podem fugir de seu controle. Percebemos então que esses profissionais estão à disposição do momento, sim, pois nunca se sabe o que encontrará pela frente, um aluno que sofre em seu lar e isso o leva descontar na escola, ou outros problemas que assim leva-os a ter comportamentos estranhos dentro do anseio social, mas esses profissionais estão lá e pensa somente algo: eu já fui criança, adolescente, jovem e outros me suportaram; Como não suportarei o que suportaram de mim. Mais uma vez percebemos o quanto suporta um professor visto assim como uma parte da convivência entre sociedade. Esse muitas vezes tem certas particularidades de um psicólogo entre outros que se dá em papel até de certos conselheiros. Esse papel é um papel muito importante, pois o professor tem que ser treinado com perfeição para que assim seja em seu funcionamento diário. O aluno nas mãos do professor é como uma joia que pode valer mais além de seu valor desde que esse bem instruído. Esse profissional vê um aluno e logo pensa em seu filho ou filha, seu futuro pela frente, como ajuda-lo e esse ter um lugar ao sol. É uma honra para um professor quando um de seus ex-alunos aparece em um programa sendo esse por motivo de vitória ou mesmo em questões profissionais os quais vitoriosos, ou mesmo quando esse aparece socialmente com grande nome dentro da sociedade. Mesmo que sua situação não esteja muito boa, esse gesto o faz ver e perceber que fez algo bom em sua vida. Esse profissional trabalha no sentido de criar soluções para outros ou ajudar a esse criar soluções para si mesmo. Um profissional que se desdobra dentro de uma sala de aula a fim de entender muitas vezes o impossível, digo assim, pois ainda que o aluno não esteja em tempo apropriado a querer estudar e aprender o que tem que aprender esse tem a esperança de que o aluno vai superar e alcançar objetivos. Certo que assim como também já fomos crianças, adolescentes e jovens um dia temos assim que entender que não é por força nem por marra que alguém vai aprender algo, mas o professor ignora essa parte e com sua calma tenta focar em suas esperanças que aquele aluno vai superar. Dá para imaginarmos o quanto um professor vibra por ver algo de desenvolvimento no aluno quando assim demonstra falta de algo que o coloca longe do aprender. Poderíamos falar muito sobre esse profissional, mas o intuito é, onde se pensa no professor no Brasil. Como esse pode fazer pelo menos o mínimo aqui citado. Qual é o nível de prazer em sua profissão e como esse pode encarar os fatos e desafetos que tem que levar para casa guardada dentro de si presa em um sentimento de perca por não poder fazer nada. Talvez que assim determina o tempo e esse tempo o professor espera, tempo de fechar feridas e com calma a fim de formar cidadãos. É uma honra para uma escola inteira o dia de formatura seja, intermediários como infantil, fundamental, médio entre outros. Para esses profissionais esse dia é lindo, um dia de gloria. Poderia ser melhor e assim também a educação só teria a ganhar cada vez mais. Mas felizmente os professores olham com um olhar diferenciado para seus alunos os quais com olhos de compaixão e ternura. Será que esse mesmo olhar é dispensado ao mesmo pelo Estado? Texto escrito em maio de 2016 ----------- ------- ------ ---------- Messias Albino ---------

O BRASIL PERDE MUITO SEM HISTÓRIA E GEOGRAFIA.

"O BRASIL PERDE MUITO SOBRE SEU PASSADO EM DIZER QUE PODEMOS TER AS ESCOLAS PÚBLICAS POR SINAL, SEM OS ESTUDOS DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA." "(Sendo essas matérias opcionais)" Como que, alunos que tem interesse em áreas complexas em vestibulares poderão concorrer com outros por estes ter estudado em escolas particulares, já que, esses não abrirão mão de um ensino completo. Parece que no Brasil existe um vício em lutas internas contra o desenvolvimento de seu próprio povo, uma mão misteriosa não como a de Adam Smith que para o bem do desenvolvimento em todas as áreas, mas como uma mão misteriosa contra certa população que parece assim ser subjugada como força de trabalho serviçal a qual não pode ser livre no sentido intelectual, no que dá a parecer essa população ter que somente pertencer à força serviçal e nada mais. Quando a população cresce essa se funde, vai-se, fundindo todas as classes internas e se o intelectual é menosprezado, logo o empobrecimento da mesma aumenta, já que essa fusão, não pôde ser acompanhada, puxando assim uma apatia de conhecimento intelectual e consequentemente um povo que sem um dia o não despertar de o querer conhecer sua identidade e apenas ser subjugado. É difícil entender que quando o Brasil começa a ter sua população mais pobre com acesso ao ensino acadêmico, começa também a decadência de os alunos das escolas públicas correr o risco de não terem as disciplinas de história e geografia, a história no currículo escolar. Para os alunos pode até ser uma boa, pois estão tendo a possibilidade de estudar matérias que talvez não vá usar os conteúdos no futuro, más por outro lado, por que esses alunos não podem conhecer sua história; talvez porque ideias sobre novas descobertas historiográficas, as micros histórias em que eleva o conhecimento em sala de aula e contam as mesmas como que se tem que contar sobre o rico conhecimento dessas matérias, assim como novos pesquisadores entraram em ação trazendo as verdades em histórica e geografia brasileira a qual antes contada de um jeito a agradar gregos e troianos ou a história e geografia não tem tanta importância como ensino, assim como conhecer nossa história ou nossa identidade não significa nada. Porque muito dos alunos de escolas públicas tem que engolir esse engodo por assim não saberem o que se passa com essas mudanças, já que é primordial conhecer a história e geografia da terra em que se vive, assim conhecendo também as diferenças e pluralidades de sua nação. A quem interessa essas mudanças, será que nesse país sempre por algum motivo os mais pobres não podem ter conhecimento ou mesmo crescer, não podem ser cidadão e sempre que algo os ajuda logo tem as imposições para que esses não se desponte o que se dá também em um país arcaico em que o coronelismo social ainda mantém com grandes correntes, correntes que tentam amarrar o conhecimento os deixando privados não só a nação do crescimento cultural quanto econômico. Porque os menos privilegiados no Brasil sempre estão na berlinda, isso nos mostra um país digno de ser considerado abaixo do terceiro mundo em que certas atitudes dentro do mesmo sempre estão pisando na cabeça de outros, pisando assim na nação para que não saia desse patamar Terceiro Mundo. Texto escrito em 12/03/2017 - Atualizado em 17/03/2017 - Atualizado em 23/08/2018 --------------Messias Albino-------------- Apostilas clique aqui ---------------------------------- Concursos abertos, em andamentos ou a, abrir. Clique aqui